Projeto de vida do programa Ensino Integral: protagonismo neoliberal

Marcelo Vicentini, Carlos Roberto Da Silveira

Submited: 2022-01-11 13:35:09 | Published: 2022-01-20 03:40:12

DOI: https://doi.org/10.32735/S2735-65232021000596
Full text
PDF

Resumen

Este artigo busca problematizar a subjetivação que emerge na formação de jovens a partir da instauração do Programa de Ensino Integral e da emergência do Projeto de Vida, que busca explorar o protagonismo juvenil como uma “disciplina” que garanta autonomia aos estudantes, permitindo que gradualmente respondam às exigências do mundo contemporâneo e suas relações com o mundo do trabalho, no desenvolvimento de habilidade que lhe permitam uma formação como pessoa autônoma, solidária e competente para continuar aprendendo ao longo da vida. Partindo da premissa “aprender a aprender” ou aprender por toda a vida, interrogamos as premissas desse Projeto de Vida, observando-o dentro do campo do neoliberalismo, como defendido por Michel Foucault (2010) e Dardot e Laval (2016), visto que atua como um modo de conduta, pois atua como uma nova razão do mundo, e, como tal, produzindo os sujeitos necessários para o seu funcionamento, logo, um sujeito que assume o protagonismo de sua vida, como um empreendedor de si.


Vicentini M, Da Silveira C. Projeto de vida do programa Ensino Integral: protagonismo neoliberal. Rev. INTEREDU. 2022;2(5): 11-39. Disponible en: doi:10.32735/S2735-65232021000596 [Accessed 7 Jul. 2022].
Vicentini, M., & Da Silveira, C. (2022). Projeto de vida do programa Ensino Integral: protagonismo neoliberal. Revista INTEREDU, 2(5), 11-39. doi:http://dx.doi.org/10.32735/S2735-65232021000596

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2022 Revista INTEREDU

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-CompartirIgual 4.0 Internacional.